Ter poder de decisão, votar pautas relevantes e ter voz ativa na comunidade onde se mora! Quando o assunto é condomínio, isso representa cuidado com o que se tem! E, para que isso aconteça de forma democrática, é que são realizadas as famosas assembleias.

Apesar da importância destas reuniões condominiais, nem sempre os moradores têm tempo ou vontade de participar.  A rotina de trabalho e as diversas atividades que as pessoas acumulam no dia a dia, muitas vezes se tornam empecilhos para que marquem presença.

Para alcançar o quorum mínimo e necessário nas assembleias, que viabilizem discussão, decisão ou votação de pautas importantes, o síndico ou a administradora responsável podem desenvolver estratégias para engajar os moradores.

Uma boa alternativa é indicar possíveis datas e horários e fazer uma rápida consulta entre os condôminos sobre a disponibilidade dos mesmos para a realização da reunião. “Em alguns casos, sugerimos fazer uma pesquisa antecipadamente. Com a tecnologia existente hoje, ela pode ser realizada através de aplicativos de conversa, por e-mail ou, ainda, da forma convencional, por comunicado impresso”, explica o diretor da LCD Condomínios, Marcelo Décimo, que completa: “A melhor data e horário para a maioria serão os escolhidos, e devem ser rigorosamente cumpridos”.

Outro cuidado que deve ser tomado é na preparação correta do local onde acontecerá a assembléia. Cadeiras confortáveis e na quantidade certa, bem como a ventilação do ambiente podem evitar que as pessoas se retirem antes do final, impossibilitando, por exemplo, que votações aconteçam.

Para Décimo, definir a pauta que será tratada antecipadamente também é um fator decisivo para se ter bons resultados. “Quanto mais organizada estiver, com dados e informações relevantes sobre os temas que serão propostos, menos demoradas serão as reuniões. Além de ter mais chances de se aprovar assuntos que precisam ser deliberados”.

Ainda com relação ao melhor aproveitamento do tempo, uma análise dos assuntos que deverão ser votados, com definição prévia da forma de votação, se aberta ou fechada, considerando as particularidades de cada assunto, também evitam discussões e demora na aprovação das pautas. “É papel do síndico e das administradoras tornarem a assembleia de condomínio eficiente. Para isso, é preciso pró-atividade. Pode ser difícil no início, mas, depois que os procedimentos forem implantados, cria-se o hábito, os moradores passam a respeitar o encontro e o engajamento aumenta. Os resultados são ótimos”, finaliza Décimo.

Fonte: Marcelo Décimo

Diretor da LCD Condomínios