Embora represente um assunto de extrema importância, a possibilidade de incêndio nem sempre constitui uma preocupação constante na rotina das pessoas. Se um alerta de incêndio soasse neste momento, você saberia quais procedimentos seguir? Será que o seu condomínio está mesmo preparado para uma emergência?

Panelas esquecidas no fogo, vazamentos de gás, sobrecarga da rede elétrica e brincadeiras indevidas estão entre possíveis motivadores para princípios de incêndios em condomínio. Sendo assim, a prevenção é um fator que deve ser trabalhado no dia a dia.

É importante manter portas corta-fogo fechadas, extintores recarregados e mangueiras em condições de uso, enroladas corretamente e em local acessível – jamais utilize cadeado ou correntes.

Brigada de incêndio

Para garantir a segurança dos moradores e auxiliar na redução de riscos, todo condomínio deve contar com uma brigada de incêndio. Trata-se de um grupo formado por condôminos, moradores e funcionários, que recebe treinamento para manusear extintores, mangueiras e outros equipamentos.

O curso para formação da brigada de incêndio é ministrado por engenheiro de segurança, bombeiro aposentado ou bombeiro civil, e dura aproximadamente três horas. Voluntariamente, os brigadistas assumem a função de auxiliar os demais moradores em caso de sinistro e também podem se tornar multiplicadores, reforçando a causa e levando a relevância da prevenção adiante.

Plano de emergência

Para reduzir os riscos em caso de sinistro, é essencial que o condomínio tenha um plano de emergência, que orientará as ações a serem tomadas pela brigada de incêndio, moradores e funcionários. Nesse planejamento, deve-se indicar rotas de fuga, ponto de encontro fora do edifício e localização de equipamentos de combate a incêndios, como extintores e mangueiras.

Para elaborar o plano, o síndico pode incluir o item na pauta de assembleia do condomínio, bem como solicitar orientações do Corpo de Bombeiros. Após a confecção, é fundamental garantir que ele esteja acessível aos moradores.

Hora da ação

Ao sinal de um incêndio no condomínio, a primeira ação a se seguir deve ser acionar a brigada de incêndio e o Corpo de Bombeiros. Em seguida, sugere-se desligar o fornecimento de gás e energia elétrica do edifício.

Enquanto isso, uma brigada de incêndio bem preparada pode auxiliar manuseando equipamentos de combate ao fogo e, se necessário, aplicando os primeiros socorros até a chegada dos bombeiros.

Finalizada a fase de combate às chamas, deve-se entrar em contato com a seguradora e evitar qualquer modificação no local do sinistro.

Esse conteúdo foi útil para você? Então, compartilhe nas suas redes sociais.