Tag: condomínios



Luzes de Natal – Confira se seu Condomínio instalou com segurança as decorações

21 de dezembro de 2020 Administração de Condomínios, Condomínios, Coronavírus, Covid-19, Dicas, família, fique em casa, Gestão de Condomínios, Luzes de natal, Manutenção Predial, Quarentena

Além de todos os aparelhos ligados dentro dos apartamentos, devido ao home office e ao calor do verão de Porto Alegre, a rede elétrica do condomínio tem mais um serviço em dezembro: suportar as luzes de natal. Mesmo que todas as cores sejam a decoração ideal da época, as lâmpadas e fios mal instalados podem causar estragos e dores de cabeça desnecessárias. Isso não chega a ser um problema para uma rede funcionando em plena capacidade, mas é preciso averiguar se todas medidas de segurança foram seguidas. Do contrário, a sobrecarga da rede pode causar quedas de energia e até mesmo incêndios. Confira os passos essenciais para evitar problemas elétricos nas áreas externas e internas:

Precauções nas Áreas Internas

Para muitas famílias, é impossível falar de Natal e Ano Novo sem os adornos e luzes! Ainda mais estando isolados, e tendo de comemorar de forma tão atípica. Por isso, confira se todos esses tópicos foram seguidos ao organizar a decoração e comemore o fim de ano com tranquilidade:

1) A primeira prevenção importante é garantir que sua árvore de natal não seja fabricada de material inflamável, do contrário, qualquer faísca pode gerar um foco de incêndio. Sempre opte por produtos com selo do INMETRO, que já vem com esse tipo de teste.

2) É preciso inspecionar os adereços e conferir se nenhuma luzinha está quebrada ou rachada, se todos os fios estão devidamente encapados e se todos os materiais funcionam corretamente.

3) Fique atento para não conectar todos os cabos em apenas uma tomada e, por descuido, sobrecarregá-la. Se for necessário conectar tudo na mesma fonte, opte por utilizar filtros de linha ao invés dos “T” ou “benjamim”.

4) Mantenha em mente que crianças são curiosas. Todas as partes elétricas devem ficar bem discretas e escondidas dos olhares atentos dos pequenos.

5) Por último mas não menos importante: não deixar os enfeites ligados 24 horas por dia. A nossa sugestão é que eles sejam acesos quando escurecer e, no momento que todos forem dormir, alguém se responsabilize por desligá-los. Isso evita possíveis acidentes em grande proporção, e economiza energia de todo condomínio.

Precauções nas Áreas Externas

Além de garantir as inspeções elétricas prediais de todo ano, é necessário tomar cuidado com alguns equipamentos que fazem parte das decorações natalinas nas áreas externas.

1) Além de estarem em perfeito estado, os adereços devem ser específicos para uso externo e bem encapadas. As chuvas e ventos fortes são características do verão e com certeza irão atingir as instalações,que precisam estar devidamente preparadas.

2) Caso alguns dos pisca-piscas estejam em cercas e outras partes metálicas, é necessário ficar atento ao isolamento dos fios. Eles devem estar protegidos não só contra água e umidade, mas também a fim de evitar que a corrente elétrica passe pelo material, causando choques a quem encostar na estrutura.

3) Não instalar os enfeites próximo de medidores de energia e postes. A proximidade apresenta risco pois qualquer acidente pode se tornar uma reação em cadeia, que prejudicará a fiação pública assim como a do condomínio.

4) As decorações devem ser desligadas durante o dia. Nesse caso, é indicado que quem ficar responsável pela tarefa, normalmente o zelador ou o síndico, acenda as luzes ao anoitecer e desligue-as de manhã. Os produtos com sensor de movimento ou com timer embutido também são um bom investimento, já que economizam energia.

5) Ao retirar os aparelhos é preciso ter cuidado não só com choques, mas também com o risco de queda. A fiação exposta ao tempo fica mais frágil e pode ter rachaduras no isolamento ou lâmpadas quebradas, por isso, só faça instalações e desinstalações com os disjuntores desligados.

O seu lar seguiu todas as medidas de segurança elétrica nesse fim de ano? Vale lembrar que se ainda estiver com dúvidas ou desconfia de alguma irregularidade, você pode consultar um engenheiro eletricista especializado em elétrica condominial.

É muito bom comemorar com seus vizinhos! E a LCD quer ver todos os nossos condôminos celebrando o novo ciclo de 2021 com total segurança. Esse material foi útil no seu dia a dia? Deixe sugestões de como podemos estar cada vez mais ao seu lado para gerenciar o condomínio.

Fundo de Reserva para condomínios: como funciona

23 de março de 2020 Administração de Condomínios, Condomínios, Gestão de Condomínios, Gestão de Pessoas, Manutenção Predial, Síndicos

O síndico do condomínio tem, entre outras funções, a responsabilidade de gerenciar os valores referentes à administração do local. Um dos montantes que deve ser organizado é o Fundo de Reserva, quantia importante, arrecadada pelos condôminos e que é geralmente utilizada em casos de gastos extraordinários. Trata-se de uma espécie de “poupança”, utilizada pelo condomínio para honrar despesas que não estavam previstas no orçamento original, ou mesmo para realização de obras e melhorias. A constituição do fundo é altamente recomendada para garantir a saúde financeira do condomínio, seja ele grande ou pequeno.

Veja abaixo algumas informações importantes sobre esta reserva:
Quando usar o Fundo de Reserva do condomínio
Como citado anteriormente, o Fundo de Reserva funciona como um valor de segurança, acionado pelo condomínio quando há algum gasto importante não previsto no orçamento. O valor pode ser aplicado para pagamento de diferentes despesas, entre elas:

Pagamentos emergenciais
O condomínio pode utilizar o valor para arcar com gastos que não eram esperados, como reparos, consertos, desentupimentos etc.
Melhorias
O fundo também pode ser aplicado na realização de obras de melhoria para o condomínio, como reformas, troca de telhado, entre outras.
Aplicações específicas
Existe ainda a possibilidade da criação de fundo para ações específicas, como a realização de uma obra grande ou a compra de equipamentos que representem um custo elevado para os condôminos.
Quem regulamenta o Fundo de Reserva
A Lei Nº 4.591, de 16 de dezembro 1964, que dispõe sobre o condomínio em edificações e as incorporações imobiliárias, prevê o Fundo de Reserva, mas não determina como deve ser feita sua contribuição e manutenção. De acordo com o Artigo 9 da Lei, isso deve estar previsto na Convenção de Condomínio. Se não houver Convenção, as regras devem ser estabelecidas em assembleia específica e com quórum adequado.
Sobre o Fundo de Reserva, o condomínio deve definir:

• O valor do fundo. Normalmente, o valor estipulado é de 5% a 10% do orçamento previsto para despesas ordinárias;
• Como será feito o rateio do valor entre os condôminos;
• Que tipo de despesa pode ser coberta pelo valor do fundo;
• O limite máximo para a arrecadação (normalmente, os condôminos não precisam mais contribuir quando o montante alcança o valor referente a duas arrecadações);
• Quem é autorizado a fazer movimentações no montante.

A verba destinada ao Fundo de Reserva é normalmente apresentada na previsão orçamentária, discutida e aprovada na Assembleia Geral Ordinária dos condomínios, no início de cada ano. Se for necessário realizar qualquer alteração na Convenção, ela deve ser realizada em assembleia, com quórum mínimo de dois terços.

A  LCD  Condomínios  se  dedica,  exclusivamente,  à  administração  de  condomínios.
Converse conosco e conheça as vantagens de ser um cliente LCD

A utilização do recurso deve passar por assembleia, uma vez que o síndico não pode determinar sozinho o uso do valor, sob o risco de responder judicialmente. Se a aplicação da quantia estiver regulamentada ou for feita em situação de emergência, na qual há risco para a segurança dos condôminos (dispensando a autorização prévia do fundo), é recomendado que, após a utilização do montante, seja convocada uma reunião para prestação de contas.

Quem deve pagar o Fundo de Reserva: o proprietário ou o inquilino

Leia Mais

Vamos falar sobre segurança?

5 de fevereiro de 2020 Administração de Condomínios, Condomínios, Segurança

Listamos as melhores práticas para manter o seu condomínio em segurança durante o verão

Nos meses de verão, quando muitas famílias e jovens saem em férias, os condomínios podem ficar mais tranquilos, vazios e vulneráveis. Nessa época (e em todas as outras também), alguns cuidados extras com a segurança precisam ser adotados e praticados. Vale para todos os tipos de condomínios, sejam grandes ou pequenos, comerciais ou residenciais. Segurança é o nosso tema da vez no blog da LCD Condomínios. Acompanhe!

Leia Mais

Medição individual de água reduz desperdício em condomínio

23 de fevereiro de 2019 Administração de Condomínios, Condomínios, Gestão de Condomínios, Manutenção Predial, Meio Ambiente, Síndico Profissional, Síndicos, Zelador

Saber e pagar exatamente pelo que se consome de água é um desejo de grande parte dos moradores de um condomínio. Muitos empreendimentos novos já adotam a instalação individual de medidores, mas, os antigos, na sua maioria, ainda contam com o tradicional rateio do consumo coletivo.

Leia Mais

Normas de trânsito dentro do condomínio: quem fiscaliza?

11 de janeiro de 2019 Administração de Condomínios, Condomínios, Gestão de Condomínios, Segurança, Síndico Profissional, Síndicos, Zelador

Dirigir de forma displicente ou em alta velocidade dentro do condomínio ou, até mesmo, dirigir sem ter maioridade e carteira de habilitação, não são casos raros! Muitas pessoas, por acharem que estão isentas de fiscalização, agem de forma imprudente, colocando em risco a saúde e a vida de outros condôminos. O que muitos não sabem é que, mesmo em áreas internas, o Código de Trânsito Brasileiro – CTB também é vigente. E pode e deve ser aplicado!

Leia Mais